Caso Neymar: Jogador cometeu estrupro mesmo?

317
Caso Neymar: "Jogador não cometeu crime ao divulgar fotos íntimas"
Caso Neymar: “Jogador não cometeu crime ao divulgar fotos íntimas”

Caso Neymar: promotor defende que jogador não cometeu crime ao divulgar fotos íntimas. A divulgação das imagens, com intenção de se defender, não caracterizaria crime.

André Fetal, promotor de justiça do Ministério Público do Estado da Bahia, usou seu Twitter para defender o atacante da seleção brasileira Neymar Júnior.

Ele explicou que a divulgação das imagens feita com a intenção de se defender de uma acusação de estupro não caracteriza o crime do artigo 218-C, do Código Penal.

“A ação do atleta não objetivou expor a intimidade da suposta ofendida, com intuito de violar a sua dignidade, mas sim de contextualizar uma situação com claro propósito de se defender da acusação de um crime grave, mostrando a consensualidade que permeou uma relação trivial.

Seria descabido e injusto exigir do atleta a deterioração de sua imagem, ensejando rescisões contratuais e perda de chances de novos negócios jurídicos, até que os órgãos do sistema de justiça, no seu tempo próprio (em geral, muito lento), esclarecessem todos os fatos”, escreveu Fetal.

Caso Neymar: “Jogador não cometeu crime ao divulgar fotos íntimas”